Igreja Evangelica Jesus Cristo é o Senhor: Abril 2015

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Amados Irmãos e Irmãs em Cristo Jesus esta é uma Pagina Especial de Pedidos de Oraçoes


Faça aqui o seu Pedido de Oração 

Nós da Igreja Evangélica Jesus Cristo é o Senhor, juntamente com o Grupo de Interseção estaremos Clamando por todos os Irmãos e todos os povos do Mundo Linguás e Nações e por todos  os Enfermos, pelos Casamentos, pelas Famílias, por Aberturas de Portas de Empregos, por Restaurações do Matrimonio, Quebras das Maldiçoes Ereditaria, Visões Noturnas, Ouvindo Vozes,Depressão,Macumbarias, Magias Negras,Ciumes e Outras Coisas, Síndrome do Panico, Medo de Andar Sozinha ou Sozinho,Medo de Vultos,ou Sopros no Seu Corpo,Sonhos Mal, Falta de Sono e Medo de Dormir, Anda Sonhando com Pessoas Mortas.

pois nós estaremos aqui para Orar por Todos.

aqui estar a Equipe de Interseção

Pastor José Carlos Marques dos Santos

Bacharel em Teologia.

Maria Lucia Souza Santos

Missionaria Mundial.

Antônio Ribas da Silva

Evangelista Nacional.

Adeval Muniz dos Santos

Presbítero Nacional.

Andreia Muniz dos Santos

Missionária Nacional.

Câmara aprova excluir empresas públicas de projeto sobre terceirização


Câmara aprova excluir empresas públicas de projeto sobre terceirização


Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (14), com 360 votos favoráveis, 47 contrários e 4 abstenções, excluir as empresas públicas e sociedades de economia mista das regras previstas no projeto que regulamenta os contratos de terceirização. A exclusão ocorreu com a aprovação de um destaque de autoria do PSDB, que também foi apoiado pelo PT.

O destaque aprovado em plenário vale para empresas públicas e sociedades de economia mista controladas por União, estados, Distrito Federal e municípios. O texto-base do projeto que altera as regras para a terceirização foi aprovado na semana passada, mas a análise das propostas de alteração do projeto ficou para esta terça.
Conforme o líder do PSDB na Casa, deputado Carlos Sampaio (SP), o destaque aprovado em plenário não proíbe que o setor público realize terceirizações, mas impede que empresas controladas pelo governo façam a terceirização em todas as suas atividades, como prevê o projeto.

De acordo com o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG), a exclusão das empresas públicas, entre as quais estão Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, busca valorizar o concurso como forma de ingresso na carreira.

“Queremos que o concurso público seja a porta de entrada não só na prefeitura, mas também no Banco do Brasil. Se acabarmos com o concurso como porta de entrada, abriremos caminho para o apadrinhamento”, argumentou.

No entanto, o líder do governo, José Guimarães (PTCE), afirmou que a aprovação do destaque não irá impedir que o projeto se aplique a empresas públicas e sociedades de economia mista. Para ele, não é necessário haver, no texto, artigo que diga expressamente que as regras se aplicam a essas categorias.
O petista citou o artigo 173 da Constituição Federal, que diz que empresas estatais que exploram atividade econômica estão sujeitas ao regime jurídico das empresas privadas. “Esse projeto de terceirização é um regime jurídico aplicado às empresas privadas e deverá ser aplicado também às empresas públicas, ao Banco do Brasil, à Petrobras. Esse destaque não terá qualquer incidência nos serviços terceirizados dessas empresas”, defendeu.

O PMDB defendeu a manutenção do texto original.  Para o vice-líder do partido, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), a retirada das empresas públicas das regras que flexibilizam a terceirização vai prejudicar a competitividade e “otimização” de recursos.

“É um retrocesso. Significa engessar a máquina pública indireta. A direta, sim, tem que ter concurso, mas na indireta não. Vamos engessar num momento em que temos que racionalizar e otimizar recursos”, afirmou.

O relator do projeto, deputado Arthur de Oliveira Maia (SD-BA), se irritou com o apoio do PT ao destaque. Segundo ele, foi o próprio governo que pediu a inclusão das empresas públicas e sociedades de economia mista nas regras que permitem terceirizar qualquer atividade.

“Já que o PT prefere fazer o discurso contra o governo, não sou eu, que sou deputado de oposição, que vou apoiar o pedido que tinha sido feito pelo governo”, disse, defendendo a aprovação do destaque.
Criticada pelo PT e por parte das centrais sindicais, mas defendida por empresários e outros sindicatos, a proposta que regulamenta a terceirização permite que empresas contratem trabalhadores terceirizados para exercer qualquer função. Atualmente, esse tipo de contratação é permitida apenas para a chamada atividade-meio, e não atividade-fim da empresa, como, por exemplo, equipes de segurança e limpeza.
O texto sob análise da Câmara põe fim a essa limitação, permitindo que qualquer funcionário passe a ser terceirizado, mesmo quando ele exerce a atividade principal da companhia.

Asteroide de 40 metros pode se chocar com a Terra em 2017

Reprodução
As chances são baixas, mas existem. E, pelo tamanho do problema, assustam. Especialistas afirmam que um asteroide do tamanho da Estátua da Liberdade, que fica nos EUA, pode atingir a Terra em 2017. Não se sabe onde aconteceria o choque e nem o quanto isso afetaria a vida no local.

A chance de o asteroide se chocar com a Terra é estimada em uma em um milhão. O impacto, acreditam os especialistas do Observatório McDonald da Universidade do Texas, seria maior do que o causado pelo asteroide que caiu na Rússia em 2013 e fez com que 1200 pessoas fossem hospitalizadas.

“O tamanho é estimado pelo seu brilho, mas não sabemos exatamente a refletividade. Assim, pode ser maior ou menor do que esperamos, tendo entre 10 ou 40 metros”, afirma Judit Györgyey-Ries, especialista do Observatório.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Crianças voltam às aulas em Serra Leoa

Unicef trabalha com o governo de Serra Leoa treinando 9.000 professores para a volta das crianças às aulas depois de 8 meses com as escolas fechadas devido ao Ebola
Os quase 1,8 milhão de alunos de Serra Leoa, país mais afetado pela epidemia de Ebola, retornaram nesta terça-feira às aulas com oito meses de atraso por culpa da doença.
"É um passo importante para uma volta à normalidade em Serra Leoa", afirma em um comunicado o representante do Unicef no país, Roeland Monasch.
"É importante que todas as crianças voltem para a escola, incluindo os que não frequentavam antes da epidemia de Ebola", completou.
Para o retorno às aulas, o Unicef, o fundo da ONU para a infância, treinou 9.000 professores para prevenir o contágio do vírus e forneceu 24.300 dispositivos de lavagem das mãos, segundo o comunicado.
A reabertura das escolas, prevista para 30 de março, foi adiada em duas semanas, depois que o país registrou novos casos de Ebola na região oeste, onde fica a capital Freetown.
Entre os três países mais afetados pela epidemia, Serra Leoa é o último a reabrir as escolas, depois de Guiné (19 de janeiro) e Libéria (16 de fevereiro).
A epidemia de Ebola na África Ocidental, a mais grave desde a identificação do vírus na África Central em 1976, foi declarada em dezembro de 2013 no sul da Guiné, antes de propagar-se para as vizinhas Libéria e Serra Leoa.
Segundo o balanço mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença provocou 10.600 mortes - 3.854 em Serra Leoa - em 25.000 casos registrados.

Deficiente visual morre após cair em vão da Estação Sé do Metrô

Segundo a companhia, vítima não solicitou ajuda a funcionários ao embarcar no sentido Palmeiras Barra-Funda da Linha 3-Vermelha.
Um deficiente visual morreu na noite do último domingo, 12,  ao tentar embarcar em um trem da Linha 3-Vermelha do Metrô.
Por volta das 21h50, o usuário caiu no vão entre os carros que partiam no sentido Palmeiras-Barra Funda, na Estação Sé, e morreu no local. Ele foi retirado por agentes de segurança do Metrô.
O caso está sendo investigado pela Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom).
Em nota, a assessoria do Metrô disse que está colaborando com a investigação, que "os funcionários do Metrô estão capacitados a auxiliar usuários portadores de deficiências" e "que todas as estações são acessíveis e dotadas de piso podotátil para que os usuários tenham autonomia de locomoção, se assim desejarem".
Segundo o Metrô, a vítima não solicitou ajuda aos funcionários e teria embarcado na Estação Portuguesa-Tietê, da Linha 1-Azul, acompanhada de outro passageiro.

Brasil já registra 220 casos de dengue por hora

<p>O Ministério da Saúde informou que fez um repasse adicional de R$ 150 milhões para todos os Estados e municípios para a adoção de medidas de "vigilância, prevenção e controle da dengue".</p>
O mais recente levantamento do Ministério da Saúde mostra que o Brasil registrou, até 28 de março, 460,5 mil casos de dengue (220 notificações por hora), mais da metade em São Paulo (257.809, ou 55%). O Estado ainda responde por três de cada quatro mortes ocorridas no País (99 de 132). A secretaria estadual afirma que trabalha com números menores, de casos confirmados, enquanto a Prefeitura prometeu reforçar ações.
Pelo ministério, São Paulo também registra o maior número de ocorrências da doença no recorte regional, considerando os 304.251 casos do Sudeste. E lidera rankings por cidades (mais informações nesta página). Considerando o valor de referência da Organização Mundial da Saúde (OMS) para epidemia, que é de 300 casos por 100 mil habitantes, o Estado já superou esse indicador: está em 585,5 casos por 100 mil.
No Brasil, no mesmo período de 2014, foram registrados 135,3 mil casos (aumento de 240,1% em 2015). No Estado de São Paulo, o registro era de 35.141 (633,6% de acréscimo em 2015). Entre os municípios com mais de 1 milhão de habitantes, Campinas (SP) é a que tem mais casos e maior incidência. A capital paulista aparece em quarto.
O prefeito Fernando Haddad (PT) comentou os casos de dengue no Estado e prometeu reforçar as ações de combate ao mosquito. "Se os dados do Ministério se confirmarem, nós estamos falando de uma epidemia no Estado de São Paulo. A capital continua em uma situação melhor, mas não confortável, porque os casos são muito mais numerosos do que no ano passado. (Vamos) colocar a Vigilância (Sanitária) em alerta total, porque é o pior mês do ano", disse, referindo-se ao mês de abril.
A Secretaria Municipal da Saúde informou que uma tenda de atendimento para dengue, igual a que já existe na Brasilândia, começará a funcionar hoje na Freguesia do Ó (zona norte). Outras quatro começarão a funcionar até a próxima semana em Lapa e Rio Pequeno (oeste), Vila Manchester (sul) e Itaquera (leste).
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) também abordou o assunto. "O secretário (de Saúde) David Uip está em permanente contato com a Prefeitura. Nós oferecemos, além do que a Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) já tem, mais 500 agentes para o combate, 50 veículos, toda a equipe, além do Instituto Adolfo Lutz e 30 médicos."
O Ministério da Saúde informou que fez um repasse adicional de R$ 150 milhões para todos os Estados e municípios para a adoção de medidas de "vigilância, prevenção e controle da dengue". Sobre São Paulo, o órgão informou que repassou mais de 28,6 mil litros de inseticida, além de kits de diagnóstico e manuais de manejo clínico.
Diferenças
Nesta segunda-feira, 13, também foram divulgados novos dados da Secretaria de Estado da Saúde. Eles apontam que foram registrados, até o fim de março, 158.300 casos autóctones confirmados. O número até 10 de abril sobe para 159.328. Os indicadores diferem dos divulgados pelo ministério, pois levam em consideração os casos confirmados, e não as notificações.
Nos dados do Estado, Campinas também aparece como a cidade com o maior número de casos confirmados: 20.380. A capital vem em terceiro: 9.809. O dado é mais próximo do que foi divulgado na semana passada pela Prefeitura, que apresentou um registro de 8.063 casos nas 12 primeiras semanas e constatou epidemia no Pari (centro).
A Secretaria de Estado ainda negou que exista uma epidemia generalizada. "Dos 645 municípios paulistas, 410 não apresentaram quadro de epidemia", informou, em nota. A pasta disse ainda que dois terços dos casos foram registrados em 30 municípios.

Bolsonaro é condenado a pagar R$ 150 mil por declarações contra homossexuais

Ainda cabe recurso à decisão.
A Justiça do Rio de Janeiro condenou o deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ) a pagar uma indenização de R$ 150 mil por declarações contra os homossexuais feitas no programa CQC, da TV Bandeirantes, exibido em março de 2011. Bolsonaro disse, durante o programa, que nunca passou pela sua cabeça ter um filho gay porque seus filhos tiveram uma "boa educação", com um pai presente. "Então, não corro esse risco”.
Em outro momento, no qual respondeu a perguntas de espectadores, Bolsonaro disse que não participaria de um desfile gay porque não promoveria “maus costumes” e porque acredita em Deus e na preservação da família.
A juíza Luciana Santos Teixeira, da 6ª Vara Cível do Fórum de Madureira, condenou o parlamentar, com base em uma ação civil pública ajuizada pelos grupos Diversidade Niterói, Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Arco-Íris de Conscientização. O dinheiro será destinado ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, do Ministério da Justiça.
Segundo a magistrada, o deputado não pode deliberadamente "agredir e humilhar", ignorando os princípios da igualdade e isonomia. A juíza considera que Bolsonaro infringiu o Artigo 187 do Código Civil, ao abusar de seu direito de liberdade de expressão para cometer um ilícito civil.
A Justiça informou ainda que Bolsonaro alegou ter imunidade parlamentar, mas a defesa não foi aceita porque o deputado falou como “cidadão” e não como “parlamentar”. Ainda cabe recurso à decisão. A Agência Brasil entrou em contato com o gabinete do deputado em Brasília, que informou que ele deve se pronunciar ainda hoje.

A MISSÃO NA ALDEIA QUILOMBOLAS COM O PASTOR JOSÉ CARLOS