Igreja Evangelica Jesus Cristo é o Senhor: Março 2012

sexta-feira, 30 de março de 2012

E UM PAIS MAL ASOMBRADO

    Leis contra igrejas e evangélicos:
    desinformação e terrorismo midiático

    Leis contra os evangélicos é título de mensagem e de páginas da web. O desconhecido autor cita oito projetos de lei, alguns já arquivados ou caducos e outros inexistentes, que iriam perturbar a paz celestial em que vivem religiosos de variados matizes.

    Seguindo a recomendação do sábio súdito de sua majestade britânica Mr. Jack the Ripper: vamos por partes.

    O texto é confuso e, o que é comum nesse tipo de mensagem, as coisas ficam deturpadas. Além do mais, para que se pudesse conferir a veracidade das afirmações quanto à existência de projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional é imprescindível saber, além do número e do ano da proposição, onde o projeto de lei foi apresentado: se na Câmara dos Deputados ou no Senado Federal.

    Começando pelo PL 4720/2003: Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do 'imposto de renda' das pessoas jurídicas.

    Ao pesquisar esse PL no saite do Senado Federal retorna o aviso Nenhum resultado encontrado. Na Câmara dos Deputados, também nada pode ser encontrado com esse número.

    Nada pode ser encontrado sob esse número no Google e a resposta à pesquisa

    projeto de lei 4720 "Altera a legislação do imposto de renda das pessoas jurídicas" site:.gov.br é

    não encontrou nenhum documento correspondente.

    Conclusão: o PL 4720/2003 não existe. Não existindo, não pode ser ameaça a nenhuma igreja ou congregação religiosa.


    Projeto nº 3.331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das 'pessoas físicas' Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.

    O Projeto de Lei nº 3.331/04 propõe algo totalmente diferente e é estranho que o redator da mensagem não o tenha compreendido. O que o deputado quer é incluir doações às instituições religiosas como passíveis de dedução do imposto de renda. Ou seja

      Art. 12. Do imposto apurado na forma do artigo anterior, poderão ser deduzidos:

      Vll - 50% (cinqüenta por cento) das doações,
      documentalmente comprovadas, a instituições religiosas.

O PL 3331/2004 encontra-se em tramitação pelos corredores e gavetas do Congresso Nacional e a referência mais recente, datada de 2006, é que ele se encontra na COORDENAÇÃO DE COMISSÕES PERMANENTES (CCP). Outra informação é que ele foi apensado ao PL-2719/2003.

Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62). Se aprovado, reduziria programas evangélicos no rádio e televisão a apenas uma hora.


O PLS - Projeto de Lei do Senado nº 299/99 é de autoria do senador Antero Paes de Barros. Veja a justificativa apresentada pelo autor do projeto.

O raciocínio apresentado pelo senador é o que se pode qualificar de cristalino.

Primeiro: o Estado é (ou deveria ser) laico.

Segundo: os serviços de radiodifusão são uma concessão do Estado.

Terceiro: "A delegação, pelo Estado, de tarefas que lhe competiriam com exclusividade, deveria condicionar-se pelo atendimento irrestrito ao interesse coletivo..."

Sendo a atividade de radiodifusão própria do Estado ela deve se pautar pelo interesse geral e não pelo interesse particular de crenças ou de religiões.

Essa questão tem a ver com a laicidade do Estado e leva a muitas discussões.

A CONSTITUICÃO POLITICA DO IMPERIO DO BRAZIL (DE 25 DE MARÇO DE 1824) rezava, EM NOME DA SANTISSIMA TRINDADE, logo no TITULO 1º:

    Art. 5. A Religião Catholica Apostolica Romana continuará a ser a Religião do Imperio. Todas as outras Religiões serão permitidas com seu culto domestico, ou particular em casas para isso destinadas, sem fórma alguma exterior do Templo.

Quase duzentos anos depois, a vinculação a entidade divina persiste. No preâmbulo na Constituição de 1988 encontra-se o apelo: "...promulgamos, sob a proteção de Deus..."

Ora, se na própria Constituição existe o apelo ou vinculação a entidade divina, não há como se considerar o Estado Brasileiro como de natureza laica, qualidade indispensável para que ele, o Estado, possa agir como árbitro supremo nas questões que dizem respeito aos direitos dos cidadãos.

Apesar de tudo isso, não existe a menor possibilidade de o PLS - Projeto de Lei do Senado nº 299/99 ser aprovado ou sequer discutido no Congresso Nacional: ele foi retirado pelo autor. Apresentado em 04/05/1999 menos de um mês depois, no dia 01/06/1999, o senador desistiu dele.

Conclusão: o PLS - Projeto de Lei do Senado nº 299/99 existiu, mas foi retirado pelo autor da proposta.

Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de Jornalista. Contém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.

O PL nº6.398/05, que " Altera as disposições do Decreto-Lei nº 972, de 17 de outubro de 1969" é datado de 2005.

No dia 17 de Junho de 2009, o STF - Supremo Tribunal Federal decidiu que é inconstitucional a exigência de diploma para o exercício do jornalismo (v. STF determina fim da exigência do diploma de jornalista).

Portanto, o projeto de lei e a "notícia" divulgada pela mensagem ficam sem nenhum valor.

Conclusão: esqueçamos esse PL que já caducou e passemos ao item seguinte.


Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação e programas em que o teor seja considerado preconceito religioso. Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçaria e rituais satânicos. Será proibido que mensagens sobre essas práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet. A verdade sobre esse atos contrários a Palavra de Deus, não poderá mais ser mostrada.

O PL 1.154/03 tem a seguinte ementa:

    Acrescenta a expressão "preconceitos religiosos" ao § 1º do artigo 1º da Lei nº 5.250, de 9 de fevereiro de 1967.

Vejamos o que diz a Lei A Lei 5.250 de 09 de fevereiro de 1967:

    Ementa: Regula a liberdade de manifestação do pensamento e de informação.

    Artigo 1º É livre a manifestação do pensamento e a procura, o recebimento e a difusão de informações ou idéias, por qualquer meio, e sem dependência de censura, respondendo cada um, nos termos da lei, pelos abusos que cometer.

    § 1º Não será tolerada a propaganda de guerra, de processos de subversão da ordem política e social ou de preconceitos de raça ou classe.


O que o autor do PL 1.154/03 pretendia? Em sua justificativa, o deputado se louvava no inciso VI do Artigo 5º da Constituição que reza:

    VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

Na Justificativa o deputado afirma:

    "Temos observado, porém, que em programas de televisão, peças teatrais e na imprensa frequentemente se divulgam preconceitos religiosos contra algumas religiões ou se praticam ofensas contra seus cultos e símbolos.

    "Por estes motivos entendemos ser necessário proibir propaganda de preconceitos religiosos..."


O PL 1.154/2003 foi submetido à Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara Federal e rejeitado pela relatora. Segundo ela, a redação proposta contraria o disposto no Art. 220 da Constituição Federal:

    Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

    § 1º - Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

    § 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

Uma vez rejeitado, o PL 1.154/2003 foi arquivado em 06 de março de 2008.

Rejeitado e arquivado. Assunto encerrado. O PL não mais apresenta ameaça a quem pretenda divulgar preconceitos religiosos ou praticar ofensas contra seus cultos e símbolos.

Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas. Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores serão considerados 'criminosos' por pregarem sobre dízimos e ofertas.

No Senado Federal existe o RQS 952/2003, requerimento com mais uma das muitas amenidades correntes por lá: voto de aplauso :)

Na Câmara dos Deputados, o PL-952/2003 tem como ementa

    "Torna crime o fato de alguém praticar atos religiosos ou similares que se consubstanciem ludíbrio à boa-fé das pessoas."



Mas o PL-952/2003 foi "Arquivado nos termos do Artigo 105 do Regimento Interno" no dia 31/01/2007.

Projeto nº 4.270/04[/b] – Determina que comentários feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil. Se convertido em Lei, as Igrejas Evangélicas ficariam proibidas de pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada, como espiritismo, feitiçaria, idolatria e outras. Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial.

O PL 4270/2004 tem como ementa

    "Altera a redação do § 13 do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, para excluir da incidência da contribuição previdenciária os valores despendidos pelas entidades religiosas na prestação de serviços religiosos."

Destacar a falsa afirmação de que Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial. Qualquer pessoa acusada do que quer que seja tem direito a defesa.

Conclusão: conversa fiada. O PL mencionado trata de outro assunto que, embora ligado a tema de ordem religiosa, nada tem a ver com o mencionado no texto da mensagem.


Projeto de nº 216/04[/b] – Torna inelegível a função religiosa com a governamental. Significa que todo pastor ou líder religioso lançado candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja.

Não é raro encontrar projetos de lei ridículos tanto no Senado Federal como na Câmara dos Deputados, mas é improvável encontrar algum que afirme uma tolice como Tornar inelegível a função religiosa com a governamental.

No Congresso Nacional, deputados e senadores dispõem de assessores, e muitos assessores, e mesmo que o titular tenha dificuldades com a redação de suas proposições a assessoria dá um jeito e redige algo compreensível.

Talvez o autor pretendesse dizer incompatível e não inelegível, duas palavras com significados diferentes.

Mesmo assim continuemos a comentar esse item.

Existe no Senado Federal o PLS 216/2004 de 07/07/2004 cuja ementa diz:

    "Altera o art. 2º da Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, dando prioridade de tramitação às causas judiciais em que seja parte pessoa portadora de deficiência."

Já na Câmara dos Deputados ao pesquisar o Projeto de nº 216/04 tem-se a resposta: Nenhuma proposição encontrada.

Conclusão: não existe o tal projeto tratando do tema mencionado.

Existem outros projetos em andamento que ferem princípios bíblicos, entre eles:
Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres.
Estabelecer um dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras, entre outros.


Pergunta-se: que projetos são esses? Quem são os autores? Em que estágio se encontram?

E mais: ainda que a Bíblia e outros livros sagrados estabeleçam tais princípios eles devem ser seguidos, e obrigatoriamente seguidos, pelas pessoas que têm como referência os tais livros. Aqueles que não os adotam ou por alguma razão adotam outra religião ou nenhuma religião não podem ser obrigados a seguir tais preceitos.

Não existe nenhuma lei (e, aqui pra nós, esperamos que não exista jamais :) obrigando o Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres.



Criar
dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras: não existe nenhuma proposta, nenhum projeto de lei obrigando os mais de 5.500 municípios brasileiros a criar o dia do orgulho gay.

E por falar em dia nacional: na contra mão (contra mão? :), já existe até projeto criando o Dia do Orgulho Heterossexual.




Pastores que pregarem sobre dízimos e ofertas, dependendo do número de reclamações, serão presos.


Não há nenhum PL abordando a questão de cobranças de dízimos.

É curiosa a afirmação: dependendo do número de reclamações, [por fraude] o pastor pode ser preso. Ora, basta apenas uma reclamação fundamentada no Art. 171 do Código Penal para que o autor do ilícito seja processado.



Reforma Constitucional – Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.

Não existe nenhuma PEC - Projeto de Emenda Constitucional eliminando a liberdade de culto e nem poderia haver, pois se trata de cláusula pétrea contida na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Deputados e senadores sabem disso. O autor da mensagem desconhece e desinforma.

A constituição de 1988 reza:

    Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta:
    ...
    § 4º Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir:
    ...
    IV - os direitos e garantias individuais.

Os direitos e garantias individuais encontram-se descritos no Artigo 5º:

    Art. 5º: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

    ...

    VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;


Conclusão: mais uma história sem fundamento.

E o apelo final próprio de spams: Divulguem isto para seus irmãos em Cristo!!!

Não façais isso, irmão, pois se o fizerdes, estareis contribuindo para criar clima de terrorismo midiático em virtude de espalha

Brasília: projetos de leis contra Igrejas Evangélicas


Estejamos alertas.
Menos pela revolta que isso nos causa e mais pelos
sinais de que as escrituras estão se cumprindo!


Pastor José Carlos Carlini Alves
pr.carlini@yahoo.com.br




A Bíblia diz que no fim dos tempos os filhos de Deus serão perseguidos e odiados. Veja aqui abaixo algumas leis brasileiras, que, SE APROVADAS, impedirão a nossa ação à favor do Evangelho no Brasil:

· Será proibido fazer cultos ou evangelismo na rua (Reforma Constitucional)
· Cultos somente com portas fechadas (Reforma Constitucional)
· As igrejas serão obrigadas a pagarem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
· Programas evangélicos na televisão apenas uma hora por dia.
· Pastor só poderá fazer programa de televisão,
se tiver faculdade de 'jornalismo'.

· Será considerado crime pregar sobre espiritismo,
feitiçaria e idolatria, e também veicular mensagem no rádio, televisão, jornais e internet, sobre essas práticas contrárias à Palavra de Deus.

· Pastores que pregarem sobre dízimos e ofertas, dependendo do número de reclamações, serão presos.
· Pastores que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada (homossexualismo, idolatria e espiritismo), não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
· Igrejas que não realizarem casamento de homem com homem e mulher com mulher, estarão fazendo
'discriminação', poderão ser multadas
e os pastores processados.

· Querem que o dia do 'Orgulho Gay'
seja oficializado em todas as cidades brasileiras.


Reforma Constitucional – Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.

  1. Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do 'imposto de renda' das pessoas jurídicas.
  2. Projeto nº 3.331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das 'pessoas físicas'
    Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
  3. Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62).
    Se aprovado, reduziria programas evangélicos no rádio e televisão a apenas uma hora.
  4. Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de Jornalista
    Contém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.
  5. Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso.
    Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçaria e rituais satânicos. Será proibido que mensagens sobre essas práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet. A verdade sobre esse atos contrários a Palavra de Deus, não poderá mais ser mostrada.
  6. Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas.
    Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores serão considerados 'criminosos' por pregarem sobre dízimos e ofertas.
  7. Projeto nº 4.270/04[/b] – Determina que comentários feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil.
    Se convertido em Lei, as Igrejas Evangélicas ficariam proibidas de pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada, como espiritismo, feitiçaria, idolatria e outras. Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
  8. Projeto de nº 216/04[/b] – Torna inelegível a função religiosa com a governamental.
    Significa que todo pastor ou líder religioso lançado a candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja.
Existem outros projetos em andamento que ferem princípios bíblicos, entre eles:
· Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres.
· Estabelecer um dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras, entre outros.


FONTE: Recebemos o conteúdo por email de redacaoregional@ig.com.br

É verdade ou não? Leis que tramitam contra as Igrejas Evangélicas. Vamos conferir?

Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.

Vamos ver qual deles é verdade?

Vamos consultar juntos no site da Câmara ?

http://www.camara.gov.br/siLeg/default.asp


Vamos lá…

—–

1) Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do "imposto de renda" das pessoas jurídicas.

Nenhuma proposição encontrada.
Tipo: PL – Número: 4720 – Ano: 2003 – Autor: – Ementa: – Comissao: 0 – Situacao: 0

————–

2) Projeto nº 3.331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das "pessoas físicas". Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.

Veja o que diz - http://www.camara.gov.br/siLeg/Prop_Detalhe.asp?id=194273

Proposição: PL-3331/2004 Clique para obter a íntegra -> Íntegra disponível em formato pdf

————-

3) Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62). Se aprovado, reduziria programas evangélicos no rádio e televisão a apenas uma hora.

Será que é verdade? - http://www.camara.gov.br/sileg/integras/159796.pdf

4) Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de Jornalista. Contém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.

Resultado – http://www.camara.gov.br/siLeg/Prop_Detalhe.asp?id=310354

Tem alguma coisa contra pastores? Jornalista é jornalista, pastor é pastor.

———-

5) Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso. Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçaria e rituais satânicos. Será proibido que mensagens sobre essas práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet. A verdade sobre esse atos contrários a Palavra de Deus, não poderá mais ser mostrada.

Resultado, http://www.camara.gov.br/siLeg/Prop_Detalhe.asp?id=117985

O que vc acha? pode-se usar uma boa expressão e continuar pregando e convidando a igreja.

O funk tem duplo sentido todo O MUNDO gosta e ninguém reclama.

—–

6) Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas. Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores serão considerados "criminosos" por pregarem sobre dízimos e ofertas.

Será que é isso mesmo?

http://www.camara.gov.br/siLeg/Prop_Detalhe.asp?id=114787

O que vc entendeu depois de ler?

———

7) Projeto nº 4.270/04 – Determina que comentários feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil. Se convertido em Lei, as Igrejas Evangélicas ficariam proibidas de pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada, como espiritismo, feitiçaria, idolatria e outras. Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial.

Essa lei é hilária leia – http://www.camara.gov.br/siLeg/Prop_Detalhe.asp?id=274390

—-

8) Projeto de nº 216/04 – Torna inelegível a função religiosa com a governamental. Significa que todo pastor ou líder religioso lançado a candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja.

O POVO E SUAS DIFERENÇAS.

Tailandia:O reino de Sião

O POVO E SUAS DIFERENÇAS.

Apesar da miscigenação racial o povo tailandês no geral é simpático, acessível, bem humorado e cordial. Como todos os povos, têm peculiariedades a serem consideradas pelos visitantes que desejarem criar laços de amizade. Conhecer seus códigos de comunicação gestual é fundamental para evitar gafes. Principalmente os brasileiros, tão habituados ao toque mútuo enquanto conversam, precisam conter-se, evitando pegar no braço do interlocutor, dar-lhe tapinhas nas costas e acima de tudo, torcar-lhe na cabeça.

Para o tailandês, essa parte do corpo é intocável. Um inocente “que gracinha de criança” seguido de afago na cabeça do PEQUENO, pode ser tão ofensivo á família quanto dizer “que monstrinho!” e dar-lhe um beliscão.

Na presença de monges, a postura correta é manter a cabeça abaixada. Apontar o pé na direção de alguém é considerado insulto grave – mesmo que a pessoa esteja distante e a intenção do visitante tenha sido apenas indicar uma DIREÇÃO. Cruzar as pernas estando sentado é intolerável em qualquer ambiente. Uma jornalista tailandesa desafiou a regra e recusou-se a descruzar as pernas. Por conta disso, foi retirada á força do parlamento. Apoiar os pés sobre algum móvel também é considerado falta grave.

Pra entrar em qualquer casa, rica, ou pobre, é preciso deixar fora os sapatos e cuidar para não pisar na soleira da porta, pois os tailandeses crêem que uma dinvidade mora nessa parte da casa. O povo é muito hospitaleiro e costuma oferecer uma bebida típica, servida quente ou fria, conforme o clima. Em nome da boa educação, aceite-a com naturalidade.

O que você pensaria se visse, aqui no Brasil, dois homens andando na rua de mãos dadas? Óbvio que a moral de ambos ficaria seriamente COMPROMETIDA por esse gesto. Pois na Tailândia, isso significa apenas que há entre eles uma boa amizade. Não estranhe, portanto, se vir cena semelhante. Errado na Tailândia, é apontar alguém com o dedo estirado, falar alto e oferecer qualquer objeto a alguma pessoa com a mão esquerda. Essa mão é tida por eles como impura. Se precisar apontar numa direção, use o queixo: todos entenderão, e ninguém ficará ofendido.

ESTRANHAS MULHERES.

As mulheres da tribo Pa Dong são muito estranhas, que o mundo apelidou-as de mulheres girafa, por causa do comprido pescoço que ostentam. Certamente os homens da tribo são os únicos no mundo que se encantam com a aparência das mulheres Pa Dong.

Vista pela primeira vez nas matas que dividem a Tailândia de Miamar, elas ostentam com orgulho seu pescoção, esticado artificialmente com espirais de latão. A partir dos oito anos de idade, as mulheres da tribo começam a usar as argolas no pescoço, aumentando a quantidade gradualmente, á medida que crescem. Especialistas afirmam que esse hábito atrofia a coluna vertebral das mulheres, resultando num pescoço exageradamente comprido.

Pelo que se sabe, elas gostam dos colares de latão. Na verdade, nem poderiam desgostar, pois as que recusam o artefato são rejeitadas pela aldeia.

O EVANGELHO NA TAILÂNDIA.

De modo geral, a Ásia representa o último grande desafio para o critianismo. Outras regiões, tais como a Europa, berço dos evangélicos, a América e o norte da África, têm tradição protestante, o que de certa forma facilita o trabalho dos missionários. A Ásia é diferente. Ali jamais houve penetração significativa do cristianismo, sequer o católico. Suas religiões milenares (hinduísmo, budismo e confucionismo) e seu modo de vida tão diferentes do nosso, exigem dos missionários uma capacidade de adaptação muito grande.

Depois de visitar a Tailândia, o pastor Valdir Steuernagel, presidente da Fraternidade Teológica Latino-Americana disse “A Tailândia respira religião e a Igreja de Cristo é pequena. Cabe a nós, portanto, participar do exercício missionário que leva os chamados ao redor do mundo. A nossa oração deve ser que Deus levante pessoas entre nós que tenham disposição de ser missionários na Tailândia”.

Oficialmente o governo tailandês dá liberdade de culto e proteção ás religiões estrangeiras que se instalam no país, mas os missionários não devem iludir-se com a idéia de que encontrarão um ambiente de plena liberdade religiosa. Quase 100% dos tailandeses são budistas, e essa realidade é mais poderosa do que a proteção que a monarquia oferece. Os monges budistas inicitam o povo á intolerância religiosa, e são prontamente atendidos.

Segundo a Classificação de Países por Perseguição, que indica o grau de intolerância para com os cristãos a Tailândia é o 73° país mais difícil para os cristãos professarem sua fé no mundo. A Classificação é composta de 87 países e o levantamento das informações é feito semestralmente pela Missão Portas Abertas.

Os tailandeses estão presos num sistema religioso muito complexo, cercados por apaziguamento de espíritos, práticas ocultas budistas e rituais místicos. Eles acreditam que seu país é protegido por um anjo guardião chamado Phra Sayam Devadhiraj. A ele atribuem o fato do país nunca ter sido dominado por potências estrangeiras, ao contrário dos vizinhos. Partindo dessa conclusão, admitem o anjo guardião como deus e milhões de pessoas o adoram.

A Tailândia é uma nação a ser conquistada pelo evangelho. Infelizmente o esforço missionário em favor dela e do restante da Ásia tem sido muito tímido. O crescimento da igreja é tão pequeno que causa desapontamento em pessoas de pequena fé.

Uma das grandes barreiras a ser vencida é a diversidade lingüística.

Além dos tailandês (tai) que é o idioma oficial, são faladas 81 línguas na Tailândia. Dessas, somente 18 dispõem de Bíblias totalmente traduzidas; sete têm o Novo Testamento e outros 15 dialetos possuem apenas porções bíblicas.

As conseqüências dessa carência de Bíblias na língua do povo são percebida claramente: a maioria dos convertidos é de origem chinesa, fala o idioma oficial tai e vive nas cidades. Do total de 87 povos, sete deles apenas são cristãos incluindo os nominais, católicos, ortodoxos etc, 26 estão evangelizados sendo que a maioria do povo mesmo ouvindo o Evangelho suficientemente para compreende-lo o rejeitou, e 54 são considerados totalmente não alcançados ou não o compreende o suficiente para tomar uma atitude inteligente.

Tudo isso são apenas alguns motivos para você orar por esse povo e ajudar obreiros que estejam entre eles ou que estão se preparando para alcança-los.

PREDOMINÂNCIA BUDISTA.

Confira o percentual de fiéis de cada religião:

Budismo therevada 95%

Islamismo 4%

Confucionismo 1,6%

Cristianismo 1%

(Entre os cristãos, apenas 0,3% são evangélicos, dividimos em 56 denominações).

SAIBA QUE:

• O governo tailandês não exige visto de entrada para turistas. A única exigência é comprovar vacinação contra febre amarela.

• Jamais beba água de torneira na Tailândia. Os bons hotéis oferecem água mineral gratuitamente.

• Você precisará de um bom estoque de roupas leves e confortáveis, por que o calor é intenso.

• Você precisará também de filtro solar, repelente de insetos e um boné, para não fritar os miolos.

• A pior época do ano para ir á Tailândia é o verão, que acontece entre os meses de junho a setembro. Nesta época, as chuvas são muito abundantes. Nos demais meses, a temperatura continua sendo quente, porém as chuvas são menos torrenciais.

-


Watchman Nee o Pastor chinês

Biografia de um pastor evangélico chinês

Watchman Nee

Pastor Watchman Nee - (1903-1972)


"A menos que sejamos tratados e quebrantados por meio da disciplina,
estaremos restringindo o poder de Deus, pois sem o quebrantamento
do homem exterior, a igreja não pode ser um canal de Deus."
Watchman Nee

Tradução: João Cruzué

Nee To-sheng ou Watchman Nee, o grande lider cristão chinês, nasceu numa província do Sul da China. Em sua juventude, provou ser um indivíduo dotado de grande inteligência e um futuro promissor. Ele foi consistentemente o melhor melhor aluno da Faculdade Trinity, adqüirindo um excelente histórico acadêmico. Nee, naturalmente, tinha grandes sonhos e muitos planos para uma carreira cheia de realizações.

Em 1920, aos 17 anos de idade, conheceu o evangelho e, após algumas lutas internas, aceitou Jesus como seu Salvador e Senhor. Ao tomar esta decisão, deixou de lado a carreira universitária. Desde então seu ministério passou a ser reconhecido como um dos mais espirituais e significativos do século 20. Seu nome anterior era Nee Shu-tsu, mas após sua conversão, mudou-o para Nee To-sheng. Devido a um costume local, se algum fato mudasse a vida de uma pessoa, ela mudaria de nome. No caso de Nee foi a sua conversão ao cristianismo.

Já bem no início de sua vida cristã Nee começou a escrever. Seu ministério, com aproximadamente 30 anos, foi uma bênção de Deus para a Igreja chinesa, e seus livros ainda serão por muito tempo um manancial de espiritualidade e inspiração para cristãos em todo mundo, em todas as épocas. Sua obra teve um profundo impacto sobre a divulgação do evangelho e o estabelecimento de centenas de igrejas locais através da Ásia. Por causa da sua fé em Cristo, Nee foi preso em 1952 pelo regime comunista de Mao Tse-tung, permanecendo seus últimos 20 anos de vida na prisão.

No início ele era um cristão metodista, depois, começou ele mesmo a restauração da Igreja nos moldes da Igreja Primitiva, segundo estava nas escrituras. Ele era ferrenho opositor da fragmentação do corpo de Cristo pela criação indiscriminada de denominações e divisões da Igreja. Sua Igreja em Xangai cresceu e chegou a ter 3.000 membros. Orando, decidiu dividi-la em 15 grupos, chamados de "pequenos rebanhos". Cada pequeno rebanho (grupo familiar) chegava a ter 200 membros. No início dos anos 40, a Igreja de Nee já possuia perto de 500 "pequenos rebanhos". Em 1941, Xangai foi invadida pelo exército japonês e a Igreja começou a passar por necessidades financeiras. Ele e seu irmão montaram um empresa farmacêutica para complementar os recursos para as necessidades da Igreja . Daí pode-se perceber que o sistema de grupos familiares, desenvolvido mais tarde na Igreja sul coreana pelo Pastor Paul Yonggi Cho foi influências do trabalho de Nee.

Em 1949, o Partido Comunista da China derrubou o governo nacionalista e instituiu a Republica Popular da China. A princípio, os comunistas insinuaram um apoio aos líderes cristãos locais, enquanto expulsava os missionários "imperialistas". Dois anos mais tarde, Mao Tse-tung mostrou sua verdadeira intenção - a de controlar as Igrejas. Durante esse tempo, os pequenos rebanhos resistiam a ordem comunista de que todos deveriam ser filiados a Igreja Cristã Nacional, uma organização fantoche. Milhares de membros da Igreja de Nee foram mortos ou colocados em prisões. Havia informantes comunistas se infiltrados entre os grupos.

Os pastores eram rotulados de lacaios dos imperialistas estrangeiros e Nee foi acusado de liderar um grande sistema secreto que envenenava as pessoas com palavras reacionárias. Em 1952 ele foi preso. Antes disso, ajudou a criar várias Igrejas subterrâneas. Em 1956,foi julgado e sentenciado à prisão por 15 anos. Em 1967, ele deveria ser solto, mas com a seguinte condição: de nunca mais voltar a pregar o evangelho. Nee não concordou. Ele foi transferido para outra prisão onde morreu cinco anos mais tarde. Ele preparou a Igreja da China para sobreviver sob a "cortina de bambu" e ela Sobreviveu. Mao se foi, mas Jesus continua na China salvando, batizando e derramando o Espírito Santo. Veja isto nas fotos tiradas mais recentemente: fotos da igreja da china.


A conversão de Watchman Nee

"Meu nascimento foi a resposta de uma oração. Minha mãe tinha muito medo que sucedesse a ela o mesmo que acontecera a sua cunhada que tivera seis filhas, o que segundo os costumes chineses era ruim, pois meninos eram os mais desejados. Mamãe já tivera duas filhas, embora não entendesse completamente o compromisso de uma oração, ela orou ao Senhor: “Se o Senhor me der um filho, eu lho darei de volta como presente". E o Senhor ouviu aquela oração, e eu nasci. Foi meu pai quem me disse mais tarde que antes do meu nascimento mamãe tinha-me prometido ao Senhor".

Para muitas pessoas a característica proeminente da salvação é o ato de ser liberto do pecado. Entretanto, para mim a questão era: se aceitasse Jesus me tornaria seu seguidor e um servo ao mesmo tempo? Fiquei assustado, porque se me tornasse um cristão, então seria chamado para servir a Cristo. E isto teria um preço muito caro para mim. Conseqüentemente, o conflito foi resolvido assim que entendi que minha salvação deveria ter os dois aspectos. Assim, decidi aceitar o Cristo como meu Salvador e servi-lo como meu Senhor. Isto foi em 1920, quando tinha 17 anos de idade.

"Na tarde de 29 de abril de 1920, eu estava sozinho em meu quarto lutando para decidir se deveria ou não crer em Cristo. Primeiro eu estava relutante, mas assim que comecei a orar vi a magnitude de meus pecados, a realidade e a eficácia de Jesus como Salvador. Quando eu avistei as mãos do Senhor estendidas sobre a cruz, elas pareciam me envolver e ouvi o Senhor dizer: Eu já estava aqui esperando por você!"

Observando de fato o sangue de Cristo limpando meus pecados e cobrindo-me de tanto amor, eu O aceitei ali mesmo, em meu quarto. Anteriormente, eu ria das pessoas que aceitavam Jesus, mas naquela tarde a experiência se tornou também real para mim. Chorei. E confessei meus pecados procurando pelo perdão do Senhor. Assim que fiz minha primeira oração, eu recebi uma alegria e paz tais que eu nunca antes tinha experimentado. Uma luz parecia fluir no quarto e eu disse a Jesus: 'O Senhor tem sido deveras misericordioso comigo."

Depois que me tornei um salvo em Cristo, enquanto meus colegas traziam novelas para ler em classe, eu trazia a Bíblia para estudar. Mais tarde eu deixei a Faculdade para entrar em um Instituto Bíblico sediado em Xangai criado pela irmã Dora Yu. No começo, por muitas vezes ela muito educadamente tentou me expulsar do instituto com a explicação de que era inconveniente para mim ficar ali mais tempo. Na realidade era por causa de meu exigente apetite, roupas diletantes e costume de me levantar muito tarde pelas manhãs. Ela queria me mandar embora. Meu desejo de servir a Deus tinha levado um sério revés.

O início de seu ministério

Embora eu pensasse que minha vida tinha sido transformada, de fato permaneciam muitas e muitas coisas que precisavam ser mudadas. Percebendo que eu ainda não estava pronto para o serviço do Senhor, decidi voltar a escola secular. Meus colegas de classe reconheceram que algumas coisas tinha alterado em minha vida mas que existiam muitas outras que ainda permaneciam em meu velho temperamento . Por isso, meu testemunho na escola não era muito poderoso, e quando pela primeira vez dei meu testemunho para o irmão Weigh, ele não me deu atenção.

Seguindo minha nova natureza de salvo já havia muitas mudanças e todo um planejamento de mais de dez anos se tornou sem significado e minhas ambições de uma brilhante carreira já estavam sendo descartadas. A partir daquele dia com uma inegável certeza do chamado de Deus, eu sabia qual deveria ser carreira da minha vida. Eu entendi que o Senhor tinha me escolhido para si, para minha própria salvação e para sua glória. Ele tinha me chamado para servi-lo e para ser seu amigo-operário.

Antes eu desprezava pregadores e pregações porque naqueles dias eles eram assalariados dos missionários americanos ou europeus, e por este serviço ganhavam deles míseros oito ou nove dólares de prata por mês. Eu nunca imaginaria, nem por um momento, que me tornaria um pregador, uma profissão a qual eu considerava tão insignificante.

Depois de me tornar um cristão, tive espontaneamente um desejo de levar outras pessoas para Cristo, mas depois de um ano de testemunho e testemunhando para meus colegas de escola secular, não havia nenhum resultado visível. Eu pensava que mais palavras e mais razões seriam eficientes, mas meu testemunho parecia não ter um efeito poderoso sobre as pessoas.

Tempos mais tarde, encontrei uma missionária da Região Oeste, a irmã Grose, que me perguntou quantas pessoas tinham sido salvas através de mim naquele primeiro ano. Eu abaixei minha cabeça e vergonhosamente confessei que a despeito de minhas tentativas de pregar o evangelho para meus colegas, nenhum deles tinha se convertido.

Então, ela me disse francamente que deveria existir alguma coisa errada impedindo minha comunicação com o Senhor. Talvez fosse um pecado escondido, dívidas ou algum outro impedimento. Admiti que tais coisas existiam e ela me arguiu se estava disposto resolvê-las, imediatamente. Concordei. A seguir me perguntou como dava meu testemunho e eu lhe disse que escolhia as pessoas ao acaso e lhes falava a respeito do Senhor, se elas mostrassem algum interesse. Ao que a missionária me ensinou que eu deveria fazer uma lista e orasse por meus amigos primeiro, enquanto aguardasse pela oportunidade de Deus para testemunhar para eles.

Imediatamente, comecei a colocar minha vida em ordem para eliminar os problemas que impediam minha comunhão com o Senhor. Ao mesmo tempo, fiz uma lista com o nome de setenta amigos com o propósito de orar por eles diariamente. Alguns dias eu orava a cada hora, até na sala de aula. Quando as oportunidades vieram eu tentava persuadi-los a crer no Senhor Jesus. Meus colegas freqüentemente diziam jocosamente, lá vem o Sr. pregador, vamos ouvir sua pregação... Embora de fato, eles não tivessem a mínima intenção de ouvir.

Eu contei depois meu fracasso a irmã Grose e ela me persuadiu a continuar orando até que algum deles fosse salvo. E, com a graça do Senhor continuei orando diariamente, e depois de vários meses, todas, com exceção de uma, das setenta pessoas daquela lista foram salvas.

Photobucket

Frases de Watchman Nee
:


"A menos que sejamos tratados e quebrantados por meio da disciplina, estaremos restringindo o poder de Deus. Sem o quebrantamento do homem exterior, a igreja não pode ser um canal de Deus".

Em sua última carta, escrita no dia de sua morte: "Apesar da minha doença, ainda continuo cheio de alegria em meu coração."
http://www.watchmannee.org
/


Um espinho na carne

Nee tinha um espinho na carne controlado pela graça de Deus. Desde 1924, ele era tuberculoso. Sobre esse assunto, estive olhando o material e pude ver que a luta de Nee em oração contra essa doença é de uma inspiração e edificação maravilhosas. Ele dependia do Senhor, todo dia, para viver por causa da doença. Viveu com ela 48 anos. Deve demandar umas duas semanas de tradução. Orem por mim, pois gostaria de compartilhar essa bênção com meus leitores.


Comentários: quando olho para as fotos deste chinês, meus olhos ficam molhados. Para ser cristão na China, naquela época, tinha que desprezar a própria vida. Ele sabia o preço e não negociava. Quando quiseram libertá-lo, em 1968, com a condição de nunca mais pregar o nome de Jesus, ele não aceitou e assim o mantiveram no cárcere até à morte. Quando for da próxima vez a uma livraria cristã, não perca tempo. Watchman Nee escreveu sobre aquilo que vivenciava.

Tradução de João Cruzué



Photobucket

A IGREJA DA CHINA DEBAIXO DA PERSEGUIÇÃO



a Igreja Evangélica da China do período entre 1960 a 1994, mostrando: prisões, perseguições, pessoas orando, sorrindo, testemunhando e batismo nas águas. Que sua vida possa possa ser inspirada pelo Espírito Santo ao contemplar a Graça do Senhor Jesus In Chine IV. Que o Senhor o/a abençoe com um espírito voluntário para evangelização e missões.

x46

Prisões e Destruição de templos,
principalmente sob Mao Tse-tung

x24

x35

x34

x25

x36

x43

Uma Igreja que ora muito

x44

x41



x15a

x15

x13

x4

x6

Que dá bom testemunho de Cristo

x26

x23

x22

x26

x20

x19

x9

x33


Que batiza em secreto em tempos de perseguição

x32

x31

x30

x39

x38

x37


Que congrega e cultua ao Senhor Jesus


x42

x41

x45

x17

x18



x10

x7

x2

x1


E que adora evangelizar


x16

x12

x28

x27

x29

A HISTORIA DO MOSSIONÁRIO QUE EVANGELIZOU A CHINA

.

Robert Morrison nasceu na Escócia em 1782, de uma piedosa família de crentes Presbiterianos. Eram muito pobres e seu pai trabalhava fabricando formas de sapatos. Robert teve que deixar os estudos ainda criança para ajudar-lhe, mas como gostava de aprender, seguiu com os estudos em casa.

Aos 15 anos entendeu o que é mais importante na vida: que ele era um pecador, um homem perdido e para se salvar devia aceitar a Jesus como seu Salvador. Assim ele fez, e depois disso, compreendeu que era seu dever levar também a outros a história desse Salvador para que todos também pudessem se livrar de seus pecados.

Depois de trabalhar por uns tempos nas Igrejas da Inglaterra, Morrison associou-se na Sociedade Missionária de Londres com a idéia de se tornar um missionário na China. Por essa ocasião já dominava o latim, o grego e o hebraico.

Como não havia nenhum missionário protestante ainda na China, Morrison se apresentou para ser o primeiro. Como a principal tarefa que lhe haviam encomendado foi a tradução da Bíblia para o mandarim, se propôs a estudá-lo, enquanto se preparava em medicina e astronomia.

Quando encontrou um manuscrito que continha a tradução de alguns trechos da Bíblia em uma biblioteca, tirou uma cópia para estudar detalhadamente, com a ajuda de um chinês que se ofereceu para ajudar. Esse esforço lhe foi muito útil, pois lhe permitiu economizar um tempo precioso quando esteve na China.

Para chegar até teve que viajar por cinco meses. Em 04 de setembro de 1807 aportou-se na cidade de Cantão, ao SUL do país, ao lado de Macau, uma colônia portuguesa. Permaneceu ali durante algum tempo, depois conheceu a jovem Mary Morton, com quem se casou em fevereiro de 1809.

Morrison não se deu conta de quão grandes eram as dificuldades que precisava vencer para chegar lá. O que sabia do idioma não lhe permitia o necessário para uma tradução, e quando buscou um mestre não pode encontrá-lo, pois havia uma lei que condenava à morte qualquer pessoa que ensinasse a língua chinesa a um estrangeiro.

Finalmente apareceram dois homens que tinham conhecido alguns missionários católicos que aceitaram ajudar, embora cheios de temor. O medo que possuíam não era tanto quanto à morte em si, senão pela sua forma, em meio a torturas terríveis. Estavam a tal ponto assustados que levavam sempre consigo um frasco com veneno para suicidarem-se caso fossem descobertos.

Aprender o chinês não era coisa fácil e por aquela época era ainda pior, pois não existiam nem dicionários nem bons professores.

John Wesley afirmou certa vez que “ O chinês era um invento do diabo para que não se pudesse pregar o evangelho aos chineses”. Milne, um missionário que mais tarde seria companheiro de Morrison, dizia que para aprender o mandarim era preciso: um corpo de bronze, pulmões de aço, cabeça de carvalho, olhos de águia, coração de apóstolo e memória de anjo... e a vida de Matusalém”

Além de trabalhar na tradução da Bíblia, Morrison se ocupou de fazer uma gramática e um dicionário, para que os missionários depois dele, pudessem aprender o idioma com mais facilidade.

Um chinês chamado Tsae A-ko, foi um grande instrumento preparado por Deus para ajudar o trabalho de Morrison.. Ele ia de noite a sua casa, as portas e as janelas eram bem fechadas, para que ninguém de fora visse o que faziam, por que corria perigo de vida, e ali se punha a traduzir ou corrigir, enquanto que Morrison lhe ensinava as verdades do Evangelho.

Foram gastos 14 anos para traduzir a Bíblia e 16, para concluir o dicionário que foi editado em quatro volumes, com cerca de 4.500 páginas cada um. Tsa A-Ko compreendeu finalmente que aquilo que o missionário lhe ensinava era a Verdade e se batizou em 1814, tornando-se então o primeiro evangélico chinês

Depois de ter traduzido a Bíblia, o problema era sua publicação, pois as penas para quem imprimisse livros cristãos eram tão severas como para aquele que ensinava o idioma. Afortunadamente, depois de muito trabalho, Morrison encontrou quem o fizesse, todavia secretamente. Para diminuir o medo do impressor, quando os pacotes com as Bíblias eram entregues, ele os rotulava com um título falso para disfarçar o “perigoso conteúdo”.

Porém, Morrison não se dedicou somente a traduzir, senão que chegou a estabelecer uma escola chamada Colégio Anglo-Chinês, mais tarde conhecido como Ying Wa College. Esta escola foi transladada para Hong Kong no ano de 1843, quando este território passou a ser controlado pelos britânicos. Esta instituição permanece até os dias de hoje como uma escola secundária.

Robert Morrison nunca teve uma boa saúde e, como trabalha muito, era mesmo impossível que sarasse completamente. Morreu quase repentinamente em 1º de agosto de 1834 em Cantão, China, quanto tinha 52 anos.

Durante sua vida conseguiu a conversão de poucas pessoas, mas seu trabalho traduzindo a Bíblia, preparando o dicionário inglês-mandarim e de edição de uma gramática sino-inglesa, fez com que fosse possível a conversão de milhares de chineses depois da sua morte.